Dicas e reflexões

Naninhas, o acalento com retalhos

Aos quinze anos fui ser voluntária em um Hospital Municipal de Santo André. Eu e a minha irmã Marisa Canova. Foram quase dois anos de doação, feito por duas adolescentes de 14 anos. Isso nos fez ver a vida de outra forma. A Canova inclusive fez faculdade de Enfermagem por conta disso. Muito se aprende quando se doa.

Tenho 54 anos e dois filhos: Ramon tem 30 anos e Sophia tem 11 anos. Por quê eu menciono isso? Porque eu já estive em um hospital, esperando por um milagre e agradecendo por cada pessoa que conversou comigo, cada carinho recebido, cada atenção dada a minha pequena garota. O lugar deixa de ser “sombrio” quando temos pessoas para nos acalentar. Por isso gostaria de compartilhar um projeto muito especial.

Faço cursos quinzenais na Rute Sato. Com a convivência a turma lá deixou de ser de alunas há muito tempo. São boas amigas, que dividem experiências, gentilezas e informações, não só sobre o Patchwork, mas principalmente sobre a vida. Esse é o lema do nosso site lembram… “unir pessoas ao unir retalhos”.

Em uma dessas conversas percebi que a grande maioria faz patchwork para poder doar para Instituições, que poderão ser vendidas, rifadas, usadas em bingo etc. Entre nossas companheiras, há uma senhora linda e gentil. Sua voz sempre é doce e ela sempre está a disposição para nos acalentar a alma, mostrando um lado tão acolhedor que muitas vezes me emocionou. E foi a nossa querida Dionéia Matsushige que disse que esta na árdua e deliciosa missão de fazer “Naninhas” para presentear as crianças AVOHC (Associação dos Voluntários do Hospital das Clínicas de São Paulo).

Me apaixonei em divulgar a causa. Motivos? Vários e de sobra e, mesmo se não tivesse nenhum, só de divulgar já seria uma boa ação. Começamos então postando em nossos perfis do Facebook e pedimos doações.  A Facyl e a Mil Fiapos (lojas de Patchowork de São Bernardo e de Santo André) prontamente nos enviaram doações de tecidos e plumantes. Juntei com os que tinha em casa, e ficamos um dia inteiro costurando eu e a minha fiel escudeira Mila Frias. Fizemos 25 peças. Todas cheias de amor e bem coloridas.

Agora queremos fazer um mutirão de Naninhas. Quando fizemos a nossa postagem no Facebook, várias pessoas nos pediram os modelos. Estamos disponibilizando os moldes agora. Vamos fazer várias oficinas e iremos postar conforme elas forem acontecendo, para todos participarem. Vamos chamar nossos mestres para nos ajudar. Estamos pedindo novas doações e queremos muito aumentar essa corrente do bem.

Já podem ir preparando a sua. Faça com amor. Evite colocar materiais que possam se soltar. Usem algodão, Micro soft, flanelas e tudo o que for macio e acolhedor. Faça os quiltes a máquina pois as crianças poderão colocar seus novos amiguinhos na boca. Use linhas de algodão macias.

Clique aqui para o download do molde da naninha, formato A3, feito pela Rute Sato.

Essas crianças ficarão muito felizes. Os pais desses anjos mais ainda. Vamos fazer algo de significativo para quem esta pedindo a Deus apenas um milagre! E o milagre começa dentro de nós mesmos, com ações como essas!

As naninhas devem ser entregues no hospital aos cuidados da Dionéia até o final de novembro ou entre em contato para buscarmos estelamota.patch@gmail.com .

5 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *